Ceci fernandes

Ceci Fernandes

Qual é a sua experiência colaborando para que equipes sejam ágeis?

Trabalho com métodos ágeis há mais de 10 anos, nos mais diversos papéis. Comecei como desenvolvedora, aplicando práticas e valores de XP desde cedo na carreira para criar e evoluir sistemas de software. Então, trabalhei com Scrum, passando pelos 3 papéis do framework em diferentes momentos.

Em 2010, fui contar na Agile Brazil que "Quando o Scrum passou a atrapalhar" (título da sessão) evoluímos o processo e passamos a usar uma abordagem mais Lean. Em 2011, curiosamente, fui contar como as evoluções seguintes nos levaram novamente a ter iterações.

Montei os cursos de agilidade e treinei muitas pessoas na Caelum, colegas e alunos, sobre práticas ágeis de desenvolvimento de software, processos, melhoria contínua e colaboração.

Já me denominei Agile Coach, mas decidi que queria mesmo ser uma "Agilista de amplo espectro" -- alguém que consegue atuar com agilidade no todo, desde código até a organização. E, como código tinha ficado muito pra trás na minha carreira, decidi voltar a ser desenvolvedora, meu cargo atual, para preencher essa lacuna.

O que você planeja aprender ou explorar nesse Camp?

Estarei mais que feliz em participar das discussões propostas por outros participantes. Já vi assuntos bastante relevantes em outros position papers. Além desses, eu gostaria de explorar:

  • Ética e limitações para Agile Coaches: o que está dentro e, principalmente, o que está fora do escopo de atuação de Agile Coaches? O que Agile Coaches devem ter em mente com relação à ética do trabalho durante sua atuação? Quem e quando um relacionamento de coach/coachee deveria terminar?
  • Entrega de software: nos muitos últimos anos, a Agilidade tem sido considerada um assunto de Gestão e desenvolvedores têm se afastado da comunidade Ágil e até mesmo das práticas. Com a evolução dos modelos arquiteturais, será que não precisamos voltar a avançar práticas e ferramentas técnicas de entrega de software, também?

Como você planeja contribuir para esse Camp?

Acredito que minha vivência em diversos papéis diferentes dentro da Agilidade me colocam em uma boa posição para trazer a visão de, por exemplo, desenvolvedora de software a discussões de transformação digital; ou a visão de educadora em conversas sobre colaboração e trabalho em time. A perspectiva de quem desenvolve software diariamente, também me parece um diferencial. Além disso, me sinto bastante confortável facilitando dinâmicas e discussões.

Qual é o maior desafio para a comunidade ágil nos próximos 5 anos e por que?

Um grande desafio que enxergo é como promover a colaboração entre agilistas experientes da "primeira leva" com os novos, que estão chegando agora com a onda da "late majority", criando um ambiente inclusivo, em vez de mais e mais grupinhos exclusivistas.

Outro enorme desafio é retomar a engenharia de software ágil e o interesse em Agilidade de pessoas que desenvolvem software no seu dia-a-dia, desconstruindo a ideia de que "Agile é para gerentes".

Finalmente, há um gritante desafio em entender o que organizações gigantes querem, quando criam iniciativas de Transformação Ágil, e ajudarem elas a começarem a caminhada nesse sentido.