Aurineide Cavalcante


Qual é a sua experiência colaborando para que equipes e organizações sejam ágeis?

Estou há 6 anos trabalhando com métodos ágeis, facilitando os times a desenvolverem o mindset ágil através de workshops com o time sobre Scrum, técnicas de facilitação, agilidade, Kanban, etc. No dia-a-dia participo das principais cerimônias observando como estão sendo conduzidas para promover feedbacks de melhoria, provocações para levar o time a refletir e os pontos positivos que devemos continuar fazendo. Também ajudo os clientes a construírem seus negócios através de levantamento de hipóteses e validação por métricas que fazem sentido. Além destes apoio a comunidade como voluntária em eventos como Agile Brazil e Scrum Gathering.

O que você planeja aprender ou explorar nesse Camp?

Como Agile Coach na organização gostaria de entender mais sobre as formas de atuação e trocar experiências com os outros participantes. Quero melhorar minha abordagem ao time, identificando melhor as dores e parar de dar respostas prontas, mas fazê-los chegarem a conclusão do que está acontecendo e como fazem para melhorar dado às ferramentas que já possuem. Como uma pessoa que vem da área de produtos quero entender melhor como os agile coaches tem colaborado na cadeia de valor de verdade.

Qual é o maior desafio para a comunidade ágil nos próximos 5 anos e por que?

Continuar ajudando as pessoas que tem trabalhado com métodos ágeis e falhado, a compreenderem que a mudança cultural nas organizações é um dos passos mais importantes dentro de toda a transformação digital. Acredito que ser ágil é mindset e isso se reflete no comportamento das pessoas. A cultura é resultado de comportamentos. Se não temos pessoas com comportamentos que estão ligados ao mindset ágil fica mais difícil e às vezes até frustrante.

Voltar