Cristiano Oliveira


Qual é a sua experiência colaborando para que equipes e organizações sejam ágeis?

Apaixonado por pessoas e suas peculiaridades, descobri na agilidade uma forma de facilitar a vida de diversas pessoas. Sou formado em Sistemas de Informação e pós graduação em Gestão de Projetos, Certified CSM, KPM I, PMP. Atuei como Scrum Master desde 2010 e em 2017 convidado a gerenciar um centro de desenvolvimento de software. Em 2017 levantamos o roadmap de todos os processos que precisariam ser alterados. Como principais atividades tivemos o redesenho dos processos de on boarding, recrutamento e seleção, feedback, formação de times, reconhecimento e comunicação. Além disso, trabalhamos o mindset ágil no time interno para que as pessoas pudessem entender a agilidade além dos frameworks. Todas estas mudanças têm sido feitas em ciclos e após o experimento ajustamos os itens que não ficaram legais e testamos novamente, gerando resultados excelentes. Hoje o centro de desenvolvimento atua com times ágeis com cerca de 150 profissionais e estou em constante evolução para fazer estes times realmente ágeis, ou seja, que utilizam o mindset de agilidade para seu dia a dia independentemente do framework aplicado, utilizando e entendendo conceitos como inteligência coletiva, transparência, autonomia, empoderamento, dentre outros. Além de atuar na comunidade de Uberlândia disseminando agilidade no ecossistema.

O que você planeja aprender ou explorar nesse Camp?

Busco compartilhar o case de transformação ágil que tenho realizado na TQI. Deste case posso compartilhar a transformação dos processos de on boarding, recrutamento e seleção, feedback, comunicação, formação de times, já que todos foram redesenhados para nos transformarmos em uma empresa ágil. Além disso, busco pessoas que tenham cases em outras empresas para melhoria das práticas que temos utilizado.

Qual é o maior desafio para a comunidade ágil nos próximos 5 anos e por que?

Vejo que o maior desafio é conseguir difundir a verdade agilidade e não somente os modelos comerciais que temos visto no mercado - "falar que é ágil". Ao meu ver o mercado despertou interesse muito forte nestes últimos dois anos, porém muitos agilistas comerciais tem disseminado de forma errônea os conceitos, infelizmente fazendo com que muitas empresas sofram consequências de ver agilidade da forma errada. Nos próximos anos vejo que as empresas/pessoas que só usam as cerimônias de frameworks, falando que são ágil e não conseguem trabalhar em seus times o mindset de agilidade, pregando conceitos como autonomia, multidisciplinar, confiança, dentre outros, irão sofrer sérias consequências nos seus negócios.

Voltar