Alexandre Amorim


O que você planeja aprender ou explorar no Agile Coach Camp e quais os temas que você quer ver discutidos?

Quero ouvir, aprender, e, sempre que possível, contribuir com humildade e eficácia. Sou interessado por muitas áreas da agilidade:

Ao longo de minha jornada, me vi fazendo experimentos em todas elas. Quero conhecer o que as pessoas estão experimentando por aí e contar meus experimentos pra gente rir juntos do que deu errado e levar inspiração pra casa com que deu certo.

Como você acredita que pode contribuir nessa edição do Agile Coach Camp?

Nesse exato momento, agora mesmo, agorinha: Eu tenho experimentado modelos de contrato ágeis diferentes do que se encontra por aí. Esses modelos tem se demonstrado sustentáveis tanto pro cliente quanto para mim. Modelei um jogo simples (sem precisar dizer que é um jogo) que tem influenciado as pessoas para comportamentos alinhados aos valores da agilidade (tanto do cliente, quanto dos times que colaboro) e gerado resultados consistentes e sustentáveis para o negócio dos meus clientes. Tenho surpreendido muito resultados até agora. Conseguimos clientes onde jamais teriamos chance de entrar e tripliquamos o faturamento da Fpf tech no nicho do experimento. Quero validar esses conceitos, entender quais podem ser aplicáveis e se podem ajudar mais pessoas.

Além de contribuir durante toda a organização do evento, também me coloco a disposição para facilitar debates em open space e mentoring corners.

Conte-nos qual é a sua experiência colaborando para que equipes e organizações sejam ágeis

Nossa, nessas horas, entrega a idade. Pelos meus cálculos, atuo com métodos ágeis desde 2007, já experimentei tanta coisa que deu errado, nem te conto, mas desde de lá já dissemino a cultura na minha amada região. Certo dia, parei para estimar quantas pessoas já havia treinado, foram mais de 2 mil. Pensei 💭: "Puxa, pra alguém que não tem os treinamentos como seu principal negócio, quanta gente já ensinei coisa errada 😄.

Nessa jornada, desde 2007 treinando Scrum; Desde 2015, treinando Lean Inception (quando ainda não era chamada de LI); Desde 2017, Kanban; Desde 2019, Lean Product Development; e, a partir desse ano, Lean Startup.

Me considero um experimentador e é pra esse pensamento que treino (técnicas, métodos e ferramentas) e educo (com cultura) as pessoas ao meu redor.

Também colaboro fomentando a comunidade Agile Manaus, puxando meetups - já foram 25 até jan/2020 - e compartilhando meus humildes experimentos no Telegram com eles.

Tenho uma paixão por essa comunidade. Através da energia dela, criamos um evento chamado "Agile in the Jungle" que foi incrível. Esse ano, tornou-se um Regional Scrum Gathering.

Voltar