Diego Siqueira


O que você planeja aprender ou explorar no Agile Coach Camp e quais os temas que você quer ver discutidos?

Planejo explorar a pluralidade das ideias a partir da interação com pessoas diversas. Entender diferentes pontos de vista e poder expandir a minha visão sobre temas relacionados à Transformação ágil e que estejam conectados com Change Management, novos meios de atração de talentos, remuneração e como tudo isso impacta diretamente na vida de uma organização/projeto que também utilizam os frameworks ágeis. Hoje também se fala muito sobre Business Agility com diferentes entendimentos e acredito que será um desafio colocar este tema em debate, pois acredito que tudo está muito embrionário, mas alguns já despontam falando da existência de "bons cases".

Como você acredita que pode contribuir nessa edição do Agile Coach Camp?

Tenho buscando contribuir em discussões que envolvam temas sobre construção de times ágeis fora de TI para apoiar organizações tradicionais em jornadas de transformação. // Tenho muito interesse em discussões sobre Business Agility, pois tenho uma percepção que as organizações na tentativa de se enquadrar a um "padrão de agilidade" criado pelo mercado de consultorias e pela necessidade de posicionamento de alguns profissionais, terminaram "descentralizando" seus times de tecnologia e os enviando para ponta, com os seus dominantes se chocando com os dominantes dos times que os recebem, próximo ao cliente e com falhas que podem gerar fissuras organizacionais. Meu grande questionamento é: o quão rápido as organizações irão reagir as falhas mais próximas aos seus clientes? Será que isso não pode acelerar a derrocada de organizações tradicionais que buscam modelos prontos de prateleira rumo à transformação? Outro grande questionamento é: Criou-se um padrão de profissionais de agilidade no mercado? Qual o preço por não se adequar a este padrão e qual a causa raiz desta padronização? Qual o impacto disso na comunidade e nos próximos anos do mercado como um todo? Tenho me questionado constantemente qual o papel da comunidade ao longo dessa jornada. A minha percepção é que temos um conjunto de pessoas que ditam os nortes do mercado se confraternizam para promoção de negócios, contribuem para rotulação de algo por um período e como passe de mágica, a nova solução se enquadra como mágica sem que muitos questionem, enquanto comunidade, o que de fato faz sentido. Será que vale tudo apoiado na "cultura de experimentação"?

Conte-nos qual é a sua experiência colaborando para que equipes e organizações sejam ágeis

Trabalho com agilidade há 9 anos. No início da minha jornada enquanto QA, pude atuar em times de desenvolvimento de software (distribuídos ou não) suportado por alguns frameworks ágeis como (scrum, xp, kanban e tdd). Ao longo dessa jornada pude entender que independente da ferramenta utilizada, as pessoas são a chave para o sucesso daquilo que iremos fazer. Isso me fez iniciar alguma comunidades e levar temas relacionados a agilidade para dentro delas. Ao atuar como Project Manager, Change Agent e Community Manager, tive a oportunidade de estudar e entender como algumas organizações se comportam com foco em entregar continuamente resultados a partir do oferecimento de ambientes propícios para aprendizado contínuo.

Voltar