Ubiratan Padilha


O que você planeja aprender ou explorar no Agile Coach Camp e quais os temas que você quer ver discutidos?

Como você acredita que pode contribuir nessa edição do Agile Coach Camp?

Por estar há mais de 10 anos desempenhando somente a função de “Agile Coach”, tenho muita experiência nesse papel e consigo contribuir com vários exemplos reais, bons e ruins.

Tive experiência tb como Gerente de Projeto e Área, o que me dá uma visão mais ampla do papel da liderança e gestão.

Trabalhei em empresas de segmentos bem diferentes (indústria, financeiro, farmacêutico, e-commerce, consultoria de TI etc), como CLT e Consultor, e com isso tenho múltiplas perspectivas e interpretações a serem compartilhadas com os participantes.

Há pouco mais de 2 anos assumi a posição de Head de Agilidade da Youse (uma empresa que atualmente considero referência em práticas ágeis, com equipes com alto nível de autonomia e ótimas práticas de engenharia de software). Como integrante do C-Level da empresa, tenho vivenciado com mais intensidade “o outro lado da mesa”, e isso tem me feito repensar muitas coisas sobre o comportamento e pensamento no geral dos “Agilistas”. Tenho ficado cada vez menos “by the book” e tenho várias reflexões para trazer para o Camp nesse sentido.

Conte-nos qual é a sua experiência colaborando para que equipes e organizações sejam ágeis

Comecei com um pseudo Scrum escondido - como muitos outros Agilistas iniciaram. Mas desde que fiz o primeiro treinamento sobre agilidade tive certeza de que esse era o caminho e não parei mais de estudar sobre o assunto.

Eu sou - ou fui, sei lá rsrs - o tipo “Agilista Raiz”, que sai imprimindo o Manifesto Ágil em A3 numa Corretora de Valores super tradicional, onde fixar algo na parede era proibido. Que “dá palestra” após a Daily sobre pq é importante definir o Conceito de Pronto…. O tipo apaixonado pelo assunto que vai no fundo buscar e explicar os “porquês”.

Nunca me escondi e deixei de assumir o protagonismo que um agente de mudança deve ter. Meu posicionamento com o C-Level nas empresas sempre foi forte, o que me acarretou alguns arranhões nessa difícil jornada - hj nem tanto - de disseminar as ideias sobre Agilidade, que desafiam o status quo. Nunca desisti e realmente sempre acreditei que esse momento iria chegar.

Por muitos anos ministrei treinamentos e consultoria em Agilidade.

Voltar