Mudança de data

Devido ao agravamento da pandemia de Covid 19 tivemos de alterar a data do evento de Março para Abril, caso queira saber mais clique aqui.





Gustavo Ayres Ferreira


O que você planeja aprender ou explorar no Agile Coach Camp e quais os temas que você quer ver discutidos?

Trabalhando em uma grande consultoria como a Thougtworks, a minha impressão era que estávamos conseguindo finalmente fazer a discussão sobre desenvolvimento sair da roda de agilsitas e ir para os tomadores de decisão. Com a minha mudança de contexto para a ZBRA, uma empresa pequena, e trabalhando para empresas gigantes da área de energia, um mercado ainda muito conversador, pude perceber que, mesmo que tenhamos passado o abismo para o “early majority”, ainda existe uma parcela muito grande de trabalho pela frente para fazer as grandes empresas entenderem as vantagens do pensamento ágil e principalmente fazê-las entenderem que isso deve ser parte de suas estratégias. Minha percepção e experiência tem mostrado que muitas vezes as empresas tem adotado técnicas relacionadas ao desenvolvimento ágil simplesmente porque tem se “tornado um padrão de mercado”, mas que no fim das contas tem se feito “pequenos waterfalls” de alguns meses e isso não tem ajudado nos planos estratégicos. Quero ouvir mais sobre as experiências dos outros de como influenciar nessa mudança de mentalidade dos tomadores de decisão para, daí sim, se falar de processos e metodologias.

Outro ponto que gostaria de explorar nas discussões é algo um pouco mais técnico mas que puxa para o lado humano. No Manifesto Ágil temos 2 príncipios claros que dizem “Contínua atenção à excelência técnica e bom design aumenta a agilidade.” e “Simplicidade - a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado - é essencial.”. Uma dificuldade que tenho percebido é que pessoas desenvolvedoras, especialmente menos experientes, acabam tendo um apego maior ao primeiro, enquanto pessoas de produto/projetos acabam buscando muito mais o segundo. Gostaria de ter discussões de como alcançar o equilíbrio e fazer todo mundo entender que ambos são importantes.

Como você acredita que pode contribuir nessa edição do Agile Coach Camp?

Além da grande experiência de mais de 15 anos trabalhando e advogando a favor do desenvolvimento ágil por onde passei, creio que nessa edição posso colaborar também com as experiências de mudança de cultura e estratégia que ajudei a montar na ZBRA nos últimos anos.

A criação e reforço de uma cultura de feedback, focada em cultivo e apoio. O auxílio na criação de um planejamento estratégico mais voltado para consolidação e crescimento da empresa. Além da mudança grande no processo de entrega ajudando a melhorar o foco que a empresa tinha em qualidade, e ajudando a criar métricas para os projetos e ajudar na previsibilidade passada aos clientes.

Também posso ajudar em discussões de como fazer tudo isso de fortalecer a cultura, justamente nesses anos difíceis de pandemia e mudança “forçada” de forma de trabalho. Todas essas experiências atuais, somadas às minhas experiência com gestão, apoio e cultivo de pessoas, podem agregar às discussões durante o evento.

Conte-nos qual é a sua experiência colaborando para que equipes e organizações sejam ágeis

Trabalho com desenvolvimento ágil desde 2006, quando ainda era desenvolvedor e comecei a tentar mudar a maneira como fazíamos e entregávamos software na empresa. Em 2008 me tornei gerente de TI, onde acabei adquirindo muita experiência no apoio e cultivo de pessoas, além de ter uma visão ainda mais voltada para o negócio. Nesse período entre 2008 e 2016 busquei uma transformação tanto nos valores e no jeito da empresa pensar entregas, tudo muito focado no que o manifesto ágil fala sobre pessoas e valores. Durante esse período também tive muitas mudanças de papéis e cargos, sempre buscando melhorias na empresa, fazendo desde o papel de Business Development até voltando para a o papel de Project/Delivery Manager para um projeto de inovação da empresa.

Em 2016 tive uma nova mudança voltando a trabalhar como consultor mas dessa vez voltado especificamente para mudanças e transformações ágeis na ThoughtWorks, focando em construir essas transformações principalmente através da entrega de software. Foram 3 anos como consultor onde passei por algumas empresas grandes do mercado financeiro influenciando times a mudar a mentalidade para um pensamento de desenvolvimento de software ágil.

Estou há 2 anos e meio na ZBRA Solutions onde tenho um papel de decisões estratégicas para habilitar e ajudar o crescimento da empresa, ao mesmo tempo que tenho ajudado a mudar a operação e a entrega de software no papel de Delivery Manager e Agile Coach de vários times em diferentes projetos.

Voltar