Mudança de data

Devido ao agravamento da pandemia de Covid 19 tivemos de alterar a data do evento de Março para Abril, caso queira saber mais clique aqui.





Gustavo Cocina


O que você planeja aprender ou explorar no Agile Coach Camp e quais os temas que você quer ver discutidos?

O dinamismo das tecnologias, dos costumes e, do Direito e da cultura gera nas empresas a necessidade se adaptarem constantemente em busca de sobrevivência. Este é o conceito de demanda.

Segundo Mik Kersten, autor do livro Project to Product, “Aqueles que dominam a entrega de software em larga escala definirão o cenário econômico do século XXI”. Este é o conceito de capacidade.

Ter capacidade equilibrada com a demanda cada vez mais tenderá a implicar a sobrevivência ou a extinção de uma empresa. Mas saber quanto software é possível ser produzido em um determinado período de tempo não é trivial. Técnicas para medição de capacidade, como as métricas de fluxo, estão relacionadas não ao software em si, mas a aspectos de seu processo de produção, como lead time e throughput, sendo impactadas pelo WIP como elemento regulador. Mas esse conhecimento não faz parte da formação acadêmica e profissional da grande maioria dos trabalhadores do conhecimento, inclusive de seus gestores.

Minha vivência sobre este tema e o que tenho a oferecer ao Agile Coach Camp está relacionado à camada operacional. Em meu trabalho como coach de agilidade tenho trabalhado com times de projetos e produtos no sentido de usar as métricas de fluxo para tornarem seus fluxos de entrega mais estáveis e previsíveis. Fiz uso de técnicas diversas para multiplicação do conhecimento como treinamentos, dojos e mentoração sobre métricas como lead time, throughput e WIP e como a correta relação entre essas medidas leva ao aumento da eficiência operacional desses times, tendo obtido resultados que elevaram a maturidade desses times e os alçaram a melhores patamares de resultados.

No entanto, meu desafio e o que eu espero poder explorar e aprender no Agile Coach Camp nesta etapa de meu desenvolvimento profissional é como me comunicar eficazmente com as camadas táticas e estratégicas da empresa no tema do equilíbrio entre demanda e capacidade: como conciliar os desejos e demandas gerados pelo ambiente de negócios com a capacidade de entrega de incrementos de software pelos times de produtos e projetos.

Como você acredita que pode contribuir nessa edição do Agile Coach Camp?

Além da vivência em métricas de fluxo que narrei na pergunta anterior, acredito que também posso contribuir com minha vivência em equipe de sustentação de sistemas no mercado financeiro, que é um ambiente no qual não se falava em abstrações tão comuns no meio ágil, como manifesto, sprint, mindset e outras tantas. Tínhamos ali um propósito que era manter alta disponibilidade nos sistemas. E tínhamos obstáculos no caminho que fomos vencendo pouco a pouco, como baixa qualidade, altos estoques de incidentes e problemas e demanda maior do que capacidade. Foi um ambiente onde experimentamos diferentes sistemas de trabalho e fomos conseguindo estabilização com o tempo.

Conte-nos qual é a sua experiência colaborando para que equipes e organizações sejam ágeis

Além do time de sustentação que mencionei anteriormente, tive a oportunidade de introduzir um sistema de entrega puxado no meu próprio time de arquitetos de integrações que atendia a um time Scrum de um produto financeiro. Ali usamos práticas de agilidade, especialmente o Kanban, para tornar nosso processo transparente e adequado ao nosso time cliente, do qual eu também como atuava como agile coach informal e o que me motivou a mudar de carreira formalmente. A partir daí eu mergulhei na teoria e na prática de diferentes frameworks e métodos, como Scrum, SAFe e Kanban, passando a participar de jornada ágil de diversos squads e tribos, dentro e fora da TI, onde a maturidade era tipicamente baixa e usei o Kanban Maturity Model e as práticas de visualização do trabalho, limite de WIP, políticas de processo, gestão do trabalho, ciclos de feedback e melhoria contínua para introduzir valores como transparência e colaboração.

Voltar